imprimir

Coronavírus e a doação de sangue

A pandemia trouxe a reboque uma série de mudanças na doação de sangue em todo o país. Além da inclusão de novos critérios de elegibilidade dos candidatos, medidas preventivas foram incorporadas à rotina dos postos.

Assim que o Ministério da Saúde deu publicidade aos critérios para doação em relação ao coronavírus (COVID-19), a Pró-Sangue alterou o protocolo de triagem dos candidatos, que atualmente estabelece os seguintes pré-requisitos:

· Candidatos que apresentaram infecção pelo COVID-19 são considerados inaptos por um período de 30 dias, após recuperação clínica completa (assintomáticos).
· Candidatos que tiveram contato direto (domiciliar ou profissional) com casos suspeitos ou confirmados de contaminação por coronavírus devem aguardar 14 dias após o último dia de contato, para realizar a doação de sangue.
· Profissionais da saúde (médicos, enfermeiros entre outros) que trabalham diretamente com pacientes portadores de Covid-19 devem aguardar 14 dias após o último dia de contato, para realizar a doação de sangue.

Vacinação - Assim que foi iniciada a campanha de vacinação contra o coronavírus em fevereiro desse ano, novamente a Pró-Sangue atualizou os critérios de doação, em conformidade ao Informe Técnico divulgado pelo Ministério da Saúde em 23 de janeiro.

De acordo com o documento, foram atualizados os prazos de doação para os candidatos que foram imunizados contra a Covid-19. Com isso, as pessoas que receberam a vacina contam com um tempo de inaptidão de:

·  48 horas após cada dose (vacina Coronavac, da Sinovac/Butantan);
·  7 dias após cada dose (vacina da Oxford/AstraZeneca/Fiocruz);
·  7 dias após cada dose (vacina da Pfizer/BioNtec/Fosun Pharma);
·  7 dias após cada dose (vacina da Janssen-Cilag);
·  7 dias após cada dose (vacina Sputinik V, da Gamaleya National Center);
·  48 horas após cada dose (vacina Covaxin, da Bharat Biotech); e
·  7 dias após cada dose (vacina da Moderna/Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas).

Para que não haja um desabastecimento dos estoques, a Pró-Sangue recomenda que as pessoas venham doar antes de se imunizarem. Até porque a doação de sangue é segura e não contraindica a vacinação.

Segurança – Visando preservar a segurança dos candidatos, a Pró-Sangue adotou medidas cautelares, seguindo orientações técnicas do Governo do Estado de São Paulo. A iniciativa busca proteger a saúde do cidadão, do doador de sangue e dos profissionais da saúde.

Dentre as ações implementadas, foi desenvolvido o sistema de agendamento online (clique aqui), para diminuir o tempo de permanência dos candidatos nos postos de coleta. Adicionalmente, a Pró-Sangue adotou protocolos de distanciamento social e disponibilizou álcool gel em vários pontos do processo da doação.